Brasil Júnior

  • 970+HITS

4 histórias incríveis que você vai conhecer de perto no ENEJ

O Encontro Nacional de Empresas Juniores, maior evento de empreendedorismo jovem do Brasil, reúne anualmente milhares de jovens que buscam ser agentes de mudança em nosso país. Realizado desde 1993, o ENEJ é feito de grandes histórias, seja dos convidados seja dos congressistas.

E faltando menos de dois meses, o ENEJ 17 promete histórias incríveis de mulheres e homens empreendedores que nos inspiram, nos motivam e nos conectam. Histórias de pessoas que compartilham os valores do MEJ (ou até fizeram parte) e hoje impactam positivamente o nosso ecossistema. Conheça quatro delas:

Sofia Esteves

“Por necessidade, eu ia fazendo, seguindo uma intuição, sempre buscando fazer bem feito. Acho que faz parte de um perfil: tem muita gente com história similar à minha que, frente a uma dificuldade, para e se engessa”. O que fez diferença, conta, foi a visão de mudar o que se praticava na área. “Quando comecei, só existiam consultorias internacionais que faziam processos seletivos enlatados, que não levavam em consideração os valores, a cultura e o perfil emocional do brasileiro”.

A história de Sofia Esteves poderia ser a de muitas pessoas que vivem na periferia da cidade. Filha de imigrantes europeus, ela cresceu no bairro de Itaquera, no extremo leste de São Paulo. Caçula de três irmãos, muitas vezes se viu sem dinheiro para comprar lanche na escola e tendo de andar quilômetros até ela. Mas, mesmo com uma situação financeira frágil, seus pais batalhavam dia a dia para dar educação aos filhos.

Fundadora da DMRH, que hoje conta com 200 funcionários, presença em 40 países e faturamento de 31 milhões de reais no ano passado, a empresa está prestes a completar 30 anos. No portfólio, grandes clientes,como a Unilever, que são fiéis à consultoria por quase duas décadas ou até mais de duas.

Preocupada em tornar o mercado de trabalho mais acessível, Sofia conta que levou uma década para mudar a mentalidade de clientes sobre o perfil almejado dos candidatos. “Expliquei que talento não é sinônimo de uma boa escola e nem significa ter fluência em uma língua estrangeira. Dessa forma, acredito que se criam feudos, com cabeças pensando sempre igual. Me mostrava como exemplo. Conhecimentos técnicos podem ser treinados no dia a dia. Alma e valores não. Dessa forma, consegui criar uma onda de diversidade no quadro de funcionários das empresas”.

Leia mais em: http://exame.abril.com.br/pme/ela-foi-desvalorizada-no-emprego-e-criou-um-negocio-de-r-30-mi

Max Oliveira

“No começo, eu não acreditava muito que aquela ideia poderia ser um negócio, muito menos com a visão de horizonte e impacto que temos hoje. Mas, de certa forma, sempre fui guiado por uma frase: Se não existisse impossível, até onde você conseguiria ir? Ouvi isso na Endeavor e carrego comigo desde então. Se não der certo, eu vou menos longe; mas ainda assim, vai ser muito mais alto do que um dia pensei em chegar.”

Todos nós merecemos férias. Mas os custos de viajar de avião são tão proibitivos que, enquanto um americano viaja, em média duas vezes por ano, o brasileiro faz uma viagem a cada quatro anos. Por outro lado, todo ano cerca de 25 bilhões de milhas aéreas e 50 bilhões de pontos de cartão de crédito que poderiam ser trocados por passagens expiram por falta de uso.

Para conectar esses dois mundos, surgiu a MaxMilhas: uma plataforma online nascida em Belo Horizonte de compra de passagens aéreas e venda de milhas que já movimentou mais de 4 bilhões de milhas, transformando a vida de milhares de pessoas pelo caminho. Por trás desse negócio está Max Oliveira, pós júnior e empreendedor mineiro que começou vivendo na pele o problema que, meses depois, viraria seu negócio.

E se o objetivo de Max, ao iniciar esse negócio, era impactar a vida das pessoas, algumas histórias já mostram que isso está se realizando. Como a do casal que convidou o empreendedor a se tornar padrinho de casamento deles. Isso porque o relacionamento a distância dos dois, durante o namoro, só foi possível por conta do preço baixo das passagens aéreas que eles compravam pelo site.

Outro exemplo legal é o do pai que enviou um e-mail para o time contando que, graças a eles, ele pode assistir ao nascimento do seu filho. Sua esposa tinha entrado em trabalho de parto antecipado, enquanto ele viajava, e o preço das passagens aéreas estava muito alto, por conta da urgência. As milhas de outra pessoa, que ele nem conhecia, acabaram sendo usadas para ele viajar.

Leia mais em: https://endeavor.org.br/todo-negocio-comeca-de-uma-inquietacao-como-a-maxmilhas-mudou-o-mercado-de-milhas-no-pais/

Guilherme Junqueira

Guilherme é mais um case de pós júnior que muito nos orgulha! Fundador e CEO da Gama Academy, uma escola que seleciona e capacita talentos nas áreas de programação, design, marketing e vendas para trabalhar no mercado digital e tem a missão de transformar 1 milhão de profissionais nos próximos 5 anos.

A empresa foi selecionada pela Singularity University como finalista do prêmio Global Impact Challenge. Através de uma metodologia educacional proprietária e disruptiva, os programas educacionais da Gama Academy empregam mais de 80% dos alunos que se formam.

Junqueira foi indicado pela Revista Forbes como um dos 30 jovens abaixo dos 30 anos mais promissores do mundo. Também foi eleito como um dos 10 empreendedores que mais contribuíram com o ecossistema brasileiro de startups.

Co-fundou a ABStartups (Associação Brasileira de Startups), uma organização sem fins lucrativos que possui mais de 4000 startups em sua base de dados. Durante sua gestão, criou e organizou o CASE (Conferência Anual de Startups e Empreendedorismo), que atrai mais de 6000 empreendedores por ano, sendo considerado o maior evento para startups da América Latina.

Saiba mais em: http://www.forbes.com.br/listas/2017/03/91-destaques-brasileiros-abaixo-dos-30-anos#foto22

Luiza Trajano

Sabe aquele ditado: “olho do dono engorda o gado”? Pelo que se sabe, Luiza Helena Trajano segue esse conselho à risca. Mesmo estando no topo da hierarquia de comando da rede varejista, Luiza Helena Trajano é conhecida por visitar pessoalmente suas lojas, conversar com vendedores e clientes, responder e-mails de consumidores e até resolver problemas de troca. “Não posso perder contato com as demandas das pessoas”, ela costuma dizer.

Eleita a terceira empresária mais poderosa do país em 2013, Luiza Trajano está à frente da rede Magazine Luiza há mais de 20 anos. A empreendedora, também conhecida como Dona Luizinha, foi pioneira em vendas pela internet no Brasil, começou a trabalhar cedo. Desde os 12 anos aproveitava as férias escolares para cuidar do balcão da loja de sua família. Mas, oficialmente, começou a trabalhar na rede de varejo somente aos 18 anos, a partir daí, passou por todas as áreas da empresa até chegar ao topo do comando – onde está até hoje.

A história de vida de Luiza Helena Trajano se confunde com a do próprio Magazine Luiza. O que poucos sabem é que o nome da empresa não é uma referência à própria Luiza, mas sim à sua tia, fundadora de uma pequena loja em Franca (SP) nos anos 50. Ela também é reconhecida por seu modelo de gestão – humano – pautado pela valorização de seus funcionários. E é aquela história: quando os objetivos pessoais do funcionários estão ligados com os da empresa, e ele se sente valorizado, com autonomia para criar e contribuir com a empresa, todos ganham. Assim, o funcionário encontra um terreno fértil para se desenvolver e a empresa pode contar com 100% do time para alcançar resultado.

Além disso, Dona Luizinha investe em uma política de bonificação. Desde 1993, a empresa investe em uma política de bonificação consistente – os colaboradores também participam dos lucros da empresa. Como grande empreendedora que é, ela sabe muito bem o que representa um funcionário motivado e comprometido com uma empresa. E parece que a cultura da empresa dá bons resultados: de acordo com o Great Place to Work, o Magazine Luiza figura entre os melhores lugares para se trabalhar.

Leia mais em Endeavor @ https://endeavor.org.br/luiza-helena-trajano/

Já imaginou conhecer essas pessoas e outros diversos personagens que irão compor nossa história? De 16 a 19 de agosto, uma experiência única irá acontecer no Nosso Vilarejo. O último período de inscrições será no dia 19 de junho, às 22 horas (horário de Brasília) através do link https://voupro.enej.com.br

ENEJ 17 - Nós: aqui e agora.