Como o Movimento Empresa Júnior pode ajudar nas contratações da sua empresa durante a crise do Covid-19?

Thuany Gibertini

Já é do conhecimento geral que o coronavírus é uma crise para saúde e para a economia, vivemos um cenário de incertezas e é neste momento que saber ou não posicionar a sua marca pode mudar o futuro de organizações.
Neste contexto é importante não só se posicionar com seus clientes, mas também com todos os seus stakeholders, afinal, essa crise um dia vai passar e além de novas vendas, novas contratações deverão ser feitas.
Inclusive existem alguns setores que estão tendo uma alta demanda durante este período e podem precisar contratar pessoas agora. Em meio a uma série de demissões, muitas pessoas disponíveis no mercado de trabalho e possivelmente pouco tempo para contratação.
Mas essa pandemia pode ser vista como uma oportunidade de colocar a sua marca em evidência e fazer com que ela se torne um sonho de futuro emprego para as pessoas certas!

 

Onde vale a pena investir?

Saber quais são as melhores alternativas de investimentos neste momento é muito importante, já que os recursos podem estar restritos. Então, entender o que dá resultado é essencial. Listar as principais estratégias de Employer Branding possíveis e analisar quais podem ser as mais adequadas para o período e quais vão trazer mais inscritos para o seu processo seletivo, por exemplo, pode ser um bom começo.
Os processos seletivos possuem custos, desde horas trabalhadas pelos colaboradores internos que poderiam estar se dedicando a outras tarefas que do seu escopo até os gastos com a divulgação em si. Entre custos diretos e indiretos uma empresa pode ter de se preocupar diversos gastos durante um processo seletivo, alguns deles são:

  • Assinaturas de ferramentas;
  • Contratação de consultorias;
  • Gastos com telefonias;
  • Tempo que os colaboradores e gestores levam do preparo ao treinamento dos novos funcionários no processo de contratação;
  • Custo de infra-estrutura;
  • Custo de oportunidade pelos negócios e/ou resultados não efetuados no período.

Além disso, caso o processo seletivo não seja bem executado o dinheiro investido pode ser perdido, seja no momento da divulgação não conseguindo atrair o público-alvo da empresa e do processo, seja no momento da filtragem inserindo pessoas incompatíveis com aquela vaga que logo sairão da empresa.
Segundo Celso Bazzola, diretor executivo da Bazz Consultoria em RH, uma contratação errada pode custar até 15 vezes um salário. No caso de um executivo esse custo pode chegar em até três vezes o salário do cargo em questão anualmente, segundo um estudo da Wyser, divisão especializada em recolocação de executivos da consultoria Gi Group retratada na revista Exame.
Sendo assim, investir em employer branding pode ir além do óbvio: atrair pessoas certas e gerar um bom clima organizacional para que os seus funcionários sejam embaixadores da sua marca. Investir em employer branding também pode significar: economia.

 

Como divulgar Programas de Estágios e Trainees agora? Foco na estratégia!

Algumas empresas estão rodando processos seletivos de estágio e trainee mesmo durante a quarentena, além de uma possível adaptação das fases do processo para que ele possa ocorrer online, ainda é necessário se preocupar com a divulgação.
É claro que existe muita gente disponível no mercado agora, mas quantas delas de fato são qualificadas para aquela empresa? E além disso, vivemos na onda das grandes lives, notícias sobre o coronavírus, política e economia mundial, como se destacar diante de tudo isso?
Além dos processos seletivos que estão acontecendo agora, existe a necessidade divulgar os que ainda vão acontecer. É óbvio que a internet é um ótimo local agora, mas como utilizá-la com todo o seu potencial?
Antes de mais nada saiba qual é o perfil de quem você tem que contratar, a persona do candidato ideal deve começar pelo fit cultural até às skills mais específicas da área. Como vimos anteriormente, uma boa estratégia de employer branding e processo seletivo pode entregar o funcionário dos sonhos e ainda evitar gastos.

Além de tudo isso não se esqueça do básico que sempre pode salvar:

  • Não se esqueça de quem já é da casa, talvez tenha um estagiário muito bom na sua empresa que pode se tornar um trainee perfeito;
  • Peça indicações da galera que já trabalha na empresa;
  • A tecnologia pode ser a sua aliada, agilizando processos e reduzindo custos, estude novas ferramentas e plataformas;
  • Faça uma descrição completa e honesta da vaga.

E na hora de divulgar é super importante saber quais os melhores canais para o seu público-alvo. Desde sites de vagas, LinkedIn até o Google Ads, de nada adianta investir se quem você quer atingir não está lá.
Existem também outros canais como instituições voltadas para recrutamento de jovens talentos e as entidades estudantis que estão dentro das universidades. Opções é o que não falta, cabe a cada empresa entender quais os melhores canais para o seu perfil de candidato e vaga.


O Movimento Empresa Júnior pode ser a melhor alternativa!

São mais de 20 mil jovens espalhados pelo Brasil que estão colocando em prática seus respectivos cursos antes mesmo da entrada no mercado de trabalho, além de executar e gerir projetos com clientes reais, esses jovens assumem toda a gestão e liderança de suas empresas juniores.
Além disso, os empresários juniores empresários juniores estão sempre em contato com as novidades do mercado em que atuam, ferramentas de gestão de projetos e de pessoas, entre outras tendências do mercado de trabalho. Através de eventos e capacitações estão constantemente atualizados.
Quem conhece um pouco sobre o Movimento Empresa Júnior já sabe de tudo isso, mas talvez não saibam que o atributo mais valorizado hoje pelo empresário júnior é a gestão voltada a resultados e que segundo ele mesmo a sua principal habilidade é ser orientado a resultados. Em um mundo competitivo como o em que vivemos, o quanto essa visão não é importante?
Esses são dados da última pesquisa de carreiras do Movimento Empresa Júnior realizada pela Brasil Júnior em 2019, ela mostra quem é o empresário júnior em diversos aspectos. Os mais valiosos estão ligados às empresas que estão nos sonhos desses jovens para o futuro enquanto colaboradores.
Quando o empresário júnior conhece e se identifica com uma marca ele se engaja e vira um real promotor em sua universidade, sabendo falar sobre seus valores e sua cultura organizacional.
Além de ser um potencial talento para diversas empresas, ainda é bom agente de divulgação em seu círculo social. Quer conhecer mais sobre o empresário júnior e todo o seu potencial? A Brasil Júnior pode te ajudar!

 

Lembrando: Employer Branding não é só propaganda, se constrói no dia-a-dia

Antes de mais nada é legal dizer que employer branding é um conjunto de ferramentas e estratégias poderoso para a marca que deseja se colocar como uma das melhores opções para quem está procurando emprego, mas é muito importante que quem já trabalha lá e vive a realidade no dia-a-dia tenha coisas boas para dizer da empresa.
Agora é o momento que missão e valores estão sendo postas à prova, se forem só palavras estampadas na parede logo os funcionários se sentirão desmotivados e começarão a compartilhar o descontentamento com amigos e família. Pode parecer algo pequeno, mas enquanto algumas marcas vão estar entregando esse tipo de experiência aos seus colaboradores, outras já estão fazendo com que seus colaboradores sintam orgulho de compartilhar com o mundo onde trabalham e como amam estar lá.
Então, o primeiro passo é olhar para dentro, entender como estão os seus colaboradores hoje e traçar alguns planos de ação que possam fazê-los se sentirem confortáveis e até acolhidos durante esse momento difícil.

 

Thuany GibertiniThuany Gibertini, 23 anos, pós-júnior da FEJESP. Formada em jornalismo pela UNESP de Bauru e apaixonada pela comunicação e por comunicar. Concorda com Dumbleodore ao acreditar que as palavras são a nossa inesgotável fonte de magia.
Thuany GibertiniThuany Gibertini, 23 anos, pós-júnior da FEJESP. Formada em jornalismo pela UNESP de Bauru e apaixonada pela comunicação e por comunicar. Concorda com Dumbleodore ao acreditar que as palavras são a nossa inesgotável fonte de magia.